Grupo supremacista branco admite ligação com suposto atirador da escola em Parkland, Florida, Nikolas Cruz.

Originalmente publicado na Anti-defamation League

Um porta-voz do grupo supremacista branco Republic of Florida (ROF) falou a Liga Anti-Difamação na terça, 15 de fevereiro, que Nikolas Cruz, o homem processado pelo ataque a tiros mortal no dia anterior em um colégio de Parkland, Florida, era associado a seu grupo.

Na quarta-feira, 14 de de fevereiro, Cruz, 19 anos, antigo estudante do Colégio Marjory Stoneman Douglas, alegadamente entrou numa escola com uma AR-15 e abriu fogo, matando pelo menos 17 pessoas e ferindo mais 14. Cruz escapou, mas depois foi capturado pela polícia e foi processado com assassinato premeditado.

Depois de auto-intitulados membros da ROF afirmarem em uma discussão do fórum 4chan que Cruz também havia sido um membro, a Liga Anti-Difamação ligou para a linha direta da ROF e conversou com um membro que se identificou como Jordan Jereb.

Jereb, morador de Tallahassee, acreditasse que seja líder do ROF. Em 2016, ele foi preso com acusações de ameaça a um membro do staff do escritório de Governador da Florida Rick Scott por que ele alegadamente estava com raiva do filho membro do staff.

Jereb disse que Cruz foi associado à ROF, sendo “trazido” por outro membro. Jered adicionou que Cruz participou em um ou mais exercício de treinamento com outros membros da ROF no Sul da Florida.

A ROF tem membros no norte e no sul da Florida. O grupo da [extrema] direita alternativa traz conceitos do movimento extremista antigoverno das milícias (que não é por si um movimento supremacista branco). ROF se descreve como “organização de direitos civis brancos lutando por políticas identitárias brancas” e buscam criam um “Estado étnico branco” na Florida. A maioria dos membros da ROF são jovens e o grupo em si só tem alguns anos de idade.

Jereb colocou que a ROF não ordenou ou queria que Cruz fizesse qualquer coisa como o tiroteio na escola.

Se o papel de Cruz for confirmado, o tiroteio do colégio de Parkland será o segundo ataque a tiros de um supremacista branco nos últimos dois meses. Em dezembro de 217, outro jovem supremacista branco, William Atchison, levou a cabo um ataque num colégio no noroeste do Novo México, matando dois estudantes antes de se matar.

Facebook Comments