INFORME Santiago Maldonado – Corpo tem aproximadamente 5 dias submerso, diz jornalista.

O jornalista investigativo Ricardo Ragendorfer do jornal El Tiempo tornou público que o relatório preliminar da autópsia indicaria que o corpo de Santiago Maldonado teria aproximadamente 5 dias de submersão.

As informações (em caráter não oficial) divulgadas pelo jornalista colidem com o que havia sido dito pelo  juiz Gustavo Lleral, que vem sendo responsável pelo caso, e demais  fontes ouvidas pelo jornal Clarin, que no dia 20 de Outubro, afirmaram que a causa da morte seria meramente afogamento e de que não havia feridas no corpo. As afirmações divulgadas pelo Clarin parecem contrariar testemunhas que disseram que no dia em que o tatuador desapareceu não atravessou o rio, uma vez que não sabia nadar,  sendo pego por policiais da gendarmería  (força policial argentina de caráter militar e nacional), que, por sua vez, teriam o agredido e o levado em uma caminhonete branca.

Esta ação em que Santiago Maldonado desapareceu foi uma ordem de desocupação informal solicitada pela multimilionária fabricante de roupas Benetton no dia 1º de Agosto.

Alguns veículos midiáticos noticiaram que especialistas presentes na autopsia concluíram  que o cadáver teria, pelo menos, 60 ou até 80 dias no rio. Mas de acordo com Ragendorfer  “O corpo não teve nenhuma sugestão de ter sido submerso por 80 dias”.

O grupo Benetton tem se confrontado com ocupações de indígenas Mapuche que exigem o direito de retornar as suas terras ancestrais compradas pela multinacional desde os anos 90, conforme já tratamos aqui no El Coyote,  Maldonado se solidarizava com esta causa quando desapareceu.

De acordo com informações divulgadas pelo jornal El Disenso a descoberta do corpo de Maldonado  se deu  a 300 metros do puesto de guardia, um lugar onde as pessoas costumam buscar água. O mesmo periódico divulgou também que habitantes locais estiveram lá dois dias antes desta descoberta e não havia nenhum corpo no local.

*Não sabemos ao certo onde está o corpo de Maldonado, o que se sabe é que a única câmara fria na área em que foi encontrado é a Estancia Leleque, de propriedade da Benetton, onde a Gendarmería possui uma base logística desde a década de 90, resultado de um acordo assinado durante a presidência de Carlos Menem, entre Carlo Benetton, o Secretário de Segurança da Nação e a província de Chubut.*

 

A família de Santiago Maldonado convocou (na Argentina) uma manifestação para o dia primeiro de Novembro.

.                                                                                                                                                   

Nota: Após a publicação deste relatório, fontes próximas ao caso rejeitaram a existência de “resultados provisórios”, observando que é necessário esperar algum tempo e que os “resultados oficiais” das análises microscópicas darão dados definitivos sobre o tempo exato de imersão, se Santiago morreu no local, onde o corpo foi encontrado ou se foi transferido, e mesmo se houve algum tipo de conservação, além data exata da morte .

Facebook Comments