O Fascismo pela ótica da propaganda Fascista

Contra o revisionismo histórico 10 ilustrações de Gino Boccasile

Herzog se suicidou? O fascismo é de esquerda ou de direita? Houve ditadura no Brasil? Os portugueses iam buscar negros na Africa para escraviza-los ou eles construíam caravelas e se entregavam aos portugueses?

Esses são exemplos de questões que não deveriam mais nos assombrar se valorizássemos o ensino de historia nas escolas e, sobretudo, se prezássemos pela memoria na sociedade como um todo. Porém esse tipo de coisa, infelizmente, ainda nos assombra e chegamos ao ponto dessas bobagens serem repetidas em debates e sabatinas presidenciais no Brasil.

Esse tipo de desinformação não vem da mente criativa de um político. Quando o candidato Cabo Daciolo, por exemplo, fala da tal URSAL (União das Repúblicas Socialistas da América Latina) em um debate, ele não tirou isso do nada, isso vem sendo propagado pelo astrólogo e autodenominado filosofo, Olavo de Carvalho (o mesmo que acha que tem células fetais na Pepsi) a, pelo menos, uma década e é repetido em igrejas neo-pentecostais como um sinal claro de que o “apocalipse está próximo”. Quando Bolsonaro fala de negros que se entregavam voluntariamente ao trabalho escravo, ele não tirou isso do nada. Ele tem seus próprios “teóricos” sustentando que tal absurdo é verdade.

Felizmente isso virou piada, mas torna-se um fato triste quando pensamos sobre o quanto é preocupante caras como Olavo de Carvalho se tornarem os “mentores intelectuais” que podem, de fato, pautar grande parte dos debates presidenciais (principalmente pela boca de Daciolo e Bolsonaro, que é o primeiro colocado nas pesquisas de intenção de votos, em cenários sem Lula).

Hoje venho mostrar evidencias que desmentem um desses revisionismos, que, por um acaso, voltou a tona a pouco tempo. Uma exposição artística que nos ajudará a esclarecer o que verdadeiramente foi o fascismo.

O que vocês verão a seguir são algumas propagandas fascistas do ilustrador Gino Boccasile (1901 –1952).

O ilustrador fascista Gino Boccasile.

Defensor de Benito Mussolini , Boccasile produziu material de propaganda para o seu governo, ele ainda se alistou na divisão da SS italiana, desenhando seus cartazes de recrutamento e ilustrando material de propaganda.  Após a guerra, ele foi preso por ter colaborado com os fascistas.

Embora tenha sido absolvido, ele permaneceu como um pária e não conseguiu encontrar trabalho por vários anos, já que a sua notoriedade era temida por candidatos a “futuros empregadores”, nas artes a seguir o leitor poderá identificar elementos inerentes ao fascismo, como o racismo, o nacionalismo, as conspirações em torno dos inimigos e ameaças aos tidos como subversivos.

O próprio Benito Mussolini pintado aqui como um herói, um mito. O culto a figura de um líder salvador é uma característica dos regimes fascistas.

 

O frenesi conspiratório em torno de supostos inimigos (comunismo, judaísmo, maçonaria).

 

O comunismo visto como um perigo, inclusive para as criancinhas.

 

Nessa imagem o inimigo é personificado na figura de um homem com traços semitas, em frente a estatua da liberdade (simbolo dos Estados Unidos) e com uma estrela vermelha, que remete ao comunismo.
lustração retirada da revista italiana Nação Militar. Detalhe para a representação da criança segurando uma arma.
Dois elementos importantes aqui para entender o fascismo. A forma com que o inimigo (um negro, soldado dos Estados Unidos) é retratado e a destruição da imagem de Jesus Cristo. (o fascismo está intimamente ligado ao uso da religião da maioria para fins políticos e Mussolini foi responsável por assinar  o chamado “tratado de latrão”, que assegurou a existência do Vaticano).
Mais racismo. Como você pode notar um negro cometendo um estupro, acompanhado de dizeres  que, em resumo, podem ser traduzidos como “poderia ser alguém da sua família”.  Essa imagem causou polêmica recentemente ao ser tirada do baú e utilizada pelo partido de extrema direita italiano  “Fuorza Nuova” em sua pagina no facebook, como parte de uma campanha anti-imigração.

 

Propaganda da SS. Versão italiana da temida força paramilitar da Alemanha nazista, responsável por muitos dos horrores cometidos pelo regime.

 

“Todo traidor… Todo sabotador..”.
A imagem se refere aos subversivos ao regime fascista.
Durante o estado fascista só eram permitidos sindicatos ligados ao estado. Comunistas e também anarquistas como Errico Malatesta, foram perseguidos por Mussolini.

 

Mais uma propaganda que visa ameaçar os opositores ao regime fascista, aqui chamados de bandidos e rebeldes.

 

Facebook Comments