Temer revoga direito de refugiado de Battisti

Michel Temer revogou o direito de refugiado de Cesare Battisti. Já haviam rumores que o governo Temer iria contrariar a decisão anterior do governo brasileiro. Os advogados de defesa de Cesare Battisti ainda aguardam a posição do STF em relação a um habeas corpus por liminar, onde o italiano poderia permanecer no Brasil ou uma decisão condicional, onde o italiano seria ouvido pelo supremo e o presidente teria de esperar a decisão final.

Battisti é acusado de homícidios que não cometeu, com base na palavra de militantes “arrependidos”, delatores que usaram sua condição de foragido à época para lhe imputar uma série de supostos crimes. Além disso Battisti fez parte de uma organização de esquerda durante os anos 70 e sofre uma perseguição política feita apenas com o objetivo de “ajuste de contas”.

Sobre isso Battisti afirmou: “Hoje estou cansado. Se volto para a Itália sei que vou morrer. Embora nunca tenha matado ninguém, me acusaram de ter matado policiais com base em um depoimento de um ‘arrependido’ por delação premiada, que jogou a culpa por muitos atos praticados por ele próprio em mim… Nunca pratiquei atos de violência contra quem quer que seja, e não há testemunha presencial que me acuse de tal prática.” (…) “Vim para o Brasil pois sabia do calor e do acolhimento que aqui receberia. Sabia também que o Brasil acolhe perseguidos políticos. Hoje tenho certeza que reúno condições de aqui trabalhar, de trazer minha família para perto, de estar ao lado de meus amigos que, mesmo vivendo do outro lado do Atlântico, nunca me deixaram só.” (Cesare Battisti)

Cabe a todos aqueles que defendem o direito de defesa e a justa luta dos presos políticos que divulguem o caso e façam pressão para que o governo brasileiro mantenha o direito de refugiado para Battisti.

Facebook Comments